Linguas disponíveis

Utopia | Equipamentos
21829
page-template-default,page,page-id-21829,page-child,parent-pageid-21823,qode-social-login-1.0,qode-restaurant-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,select-child-theme-ver-1.0.0,select-theme-ver-4.1,side_area_uncovered,wpb-js-composer js-comp-ver-5.2,vc_responsive

Equipamentos

Os equipamentos públicos ou privados representam um elevado desafio para o arquitecto na exacta medida em que obrigam a projectos de arquitectura desenhados para acomodar a diversidade de utilizadores com ou sem deficiência e com ou sem mobilidade condicionada. Isto significa o cumprimento de um vasto leque de legislação e a sujeição a vários pareceres externos para além da câmara municipal. As soluções a adoptar têm também de ser de elevada resistência dada a utilização frequente e muitas vezes pouco cuidada. Os gastos com a manutenção são também importantes e devem ser acautelados os acabamentos apropriados e as estratégias mais eficientes do ponto de vista térmico e energético. As escolas, os infantários, as creches e os atelier de tempos livres são os programs mais comuns no caso dos equipamentos escolares. Os tribunais, as secções de proximidade, os museus, os espaços desportivos, culturais e de lazer, assim como os edifícios de carácter administrativo são outros equipamentos públicos que entram também dentro desta categoria.

Como desenvolver um equipamento

Existe uma grande parte de equipamentos de uso público que podem ser de facto promovidos por entidades privadas. Contudo a sua criação, desenvolvimento e manutenção requer muito maiores cuidados que uma entidade pública uma vez que o seu mau planeamento implica riscos reais para os gestores e respectivas empresas. No caso do sector público está apenas em causa a rigorosa gestão dos dinheiros públicos e a avaliação política ou discipinar que daí possa advir.

Equipamentos públicos

No caso dos equipamentos públicos, estes são obviamente promovidos por entidades públicas e como tal têm de se reger pela legislação em vigor no regime de contratação pública. Nalguns casos o concurso público pode ser necessário de acordo com o valor base pretendido, noutros casos, um convite para apresentação de propostas pode ser o método mais transparente e expedido para decidir sobre um ajuste directo.

Equipamentos privados

Os equipamentos privados, sendo como é normal promovidos por empresas, obedevem a maior liberdade de gestão mas também um maior escrutínio por parte dos acionistas. Sendo privados, por mais paradoxal que possa parecer, a regulamentação é também superior e o investidos deverá ter em atençao que actua num sector altamente legislado. Deve contactar um gabinete de arquitectura e informar-se sobre todas as implicações legais a que o seu negócio deve obedecer. Da nossa parte estamos sempre disponíveis para o ajudar.

Como criar uma escola?

As escolas privadas ou equipamentos escolares privados devem ser criados mediante uma criteriosa análise das carências dos alunos e dos recursos socioeconómicos das famílias que os apoiam. Nesse sentido deverá ser do mesmo modo compreendido o papel da mais-valia da escola privada e do que esta pode representar para os resultados escolares. Logo que bem definidos esses objectivos deverá ser elaborado um programa base dos espaços ou valências necessárias para incluir na escola de modo a atingir na plenitude os objectivos traçados. Deverá também contactar a direcção regional de educação respectiva e auscultar as considerações que esta tem a fazer.

Como criar uma creche?

Uma creche deverá ser desenvolvida sempre tendo em conta a enorme dependências que os bebés têm das famílias que os educam. Isto significa compreender muito bem as necessidades dos pais em termos de deslocações para o trabalho e residência. A análise destes movimentos pendulares permite compreender o melhor modo de posicionar o investimento de modo a fornecer o serviço de maior qualidade possível. Ouvir a segurança social é também importante de modo a compreender como o estabelecimento se deverá posicionar relativamente às carências sociais detectadas por este organismo.

Como criar um infantário?

O infantário é no fundo o alicerce educativo que orientará os primeiros passos da criança. Organiza também a sua futura entrada no ensino básico. Os pais estão nesta fase mais disponíveis para abdicar de alguma proximidade física se isso significar um importante desenvolvimento no projecto educativo do seu filho. O cuidado estudo dos objectivos dos pais deverá levar a uma resposta precisa que permita fornecer um plano educativo aos alunos que represente uma clara mais valia relativamente À oferta existente. Esses valores deverão ser transmitidos num programa base que permitirá um projecto rigoroso dos arquitectos e engenheiros.

Como criar um atelier de tempos livres?

Um equipamento escolar que pretenda estimular novas competências e consolidar os conhecimentos em aquisição consiste num serviço altamente valorizado seja em regime de colónia de férias, seja de modo a compatibilizar a vida familiar com a profissional dos pais. O conhecimento destas características e do panorama escolar da área de influência permitirá traçar um bom plano de negócios e um serviço de qualidade aos alunos.

A importância do arquiteto num equipamento

Quer seja público, quer seja privado, o papel do arquitecto consiste por um lado na garantia do escrupuloso cumprimento de uma legislação altamente exigente, e consiste por outro numa garantia de cumprimento dos objectivos traçados pelo dono-de-obra e da adequação dos mesmos às características estéticas, sociais, culturais da população alvo e do contexto envolvente.

O arquiteto e a escola

No caso dos equipamentos escolares, o arquitecto é também o provedor dos dois intervenientes fundamentais no ensino: o aluno e o professor. O desiquilíbrio entre cada um destes actores levará inexoravelmente a um ensino pouco ajustado às necessidades de hoje. O arquitecto garantirá assim segurança de todos, a qualidade dos instrumentos e infraestruturas presentes no processo de ensino e por fim garantirá um ambiente acolhedor para professores e alunos.

O arquitecto e a creche

No caso das creches o arquitecto actua como um criador de uma ambiente altamente familiar, acolhedor e seguro para a criança e eficiente para os educadores e auxiliares. O conhecimento destes objectivos a par dos objectivos do investidor torna-o num profissional fundamental para o sucesso do investimento.

O arquitecto e o infantário

Um infantário é um estabelecimento onde as crianças começam a ter muito maior mobilidade e a participação dos pais nas actividades do equipamento se intesifica. O arquitecto torna-se assim fundamental para estabelecer as condições mais favoráveis de segurança, conforto e funcioionalidade para as crianças, educadores, auxiliares e pais.

O arquitecto e o ATL

A acessibilidade e a boa gestão do investimento inicial e da sua manutenção, a par com as características da oferta de serviços são os critérios mais importantes para o sucesso de um atl. O arquitecto é o técnico mais competente para avaliar estes aspectos e encontrar soluções competitivas, de baixa manutenção e eficientes para estas questões.

Tipos de equipamentos

A natureza dos equipamentos abertos ao público pode ser diversificada e com necessidades e fins muito específicos. Embora se possam considerar outros tipos de equipamentos comos os relacionados com a actividade turística ou de saúde, a especificidade destes merece um olhar mais atento e um capítulo próprio como descrito na pagina de usos.

Equipamentos escolares

Os equipamentos escolares têm requisitos especiais de segurança e de qualidade uma vez que albergam crianças de idades diferenciadas. Conheça em seguida os espaços necessários e as valências obrigatórias segundo a legislação em vigor.

Espaços necessários para uma escola do Ensino Básico

O ensino básico inclui diversas funções obrigatórias a incluir numa escola:

Vestíbulo
Sempre associado ao vigilante e à identificação de todos que entram na escola.
Salas de actividades
No mínimo são necessárias quatro actividades. São comummente conhecidas como salas de aula. Deverão incluir mesa do professor, quadros e mesas ecadeiras de alunos. Deverá ser incluida uma banca com pio para limpeza e actividades como a pintura. Cabides para alunos e um arrumo autónomo são também requisitos par estes espaços.
Salas de actividades extracurriculares
Nestes espaço poderão ser desenvolvidas actividades relacionadas com a expressão plástica, a música, ou outras.
Ginásio
Zona direccionada para a pratica desportiva. Deevrá ser incluído um balneário com dw, vestiário e duches, ambos separados em zona masculina e feminina. A área deverá ser proporcional ao número de alunos
Sanitários das crianças
Tambésm estes espaços deverão estar separados em zona masculina e feminina e permitir acesso a deficientes ou pessoas de mobilidade condicionada.
Serviços administrativos
Deverão obrigatoriamente incluir secretaria e gabinetes de professores e direcção.
Zona do Pessoal docente e não docente
Nestes espaços incluem-se os WC, vestiários com cacifos, a sala dos professores(descanso e reuniões) e a sala do pessoal muito importante no caso das escolas maiores.
Recreio exterior e interior
Zona destinada às actividades lúdicas mais autónomas das crianças e com forte componente de sociabilização entre estas.
Serviços técnicos
Poderão ser necessários outros espaços como é o caso da reprografia ou oficina de manutenção em escolas de maior dimensão.
Espaços necessários numa Creche

Uma creche é um equipamento preparado para apoiar o desenvolvimento de bebés e crianças até aos 3 anos. Trata-se de um equipamento altamente regulamentado e regulado pela segurança social. Conheça em seguida alguns dos espaços necessários.

Bebés até 1 ano

Também conhecido como berçário, os requisitos são os seguintes:

Sala de actividades para bebés
É no fundo o espaço principal onde se desenvolvem as actividades de desenvolvimento do bebé.
Sala de dormir
Sala com berços separados onde em perfeito conforto os bebés podem dormir.
Zona de higienização
Trata-se do espaço onde se desenvolvem os cuidados higiénicos do bebé como a mudança de fraldas ou o banho. Deverá possuir uma banheira e todos os utensílios e materiais para banho, assim como as prateleiras com todo o material para mudança de fraldas.
Copa com banca e pio
Trata-se da zona para preparação de biberons e papas.
Sala de 1 ano

Esta sala, legalmente não necessita de nada mais do que a sala de actividades de 1 ano. Contudo nada impede acrescentar outras valências. A área deverá ser proporcional ao número de alunos.

Sala de 2 anos

Esta zona segundo a legislação em vigor também não necessita mais do que a sala de actividades para as crianças com uma área de acordo com o número de crianças.

Espaços comuns à creche
WC de crianças
Este espaço é fundamental para as crianças adquirirem hábitos de controlo das fezes e urina. Deverá ser acolhedor e higiénico. Deverá possuir também banheira ou zona de duche.
Sala de isolamento
Pese embora seja um tema polémico, a legislação prevê e obriga a instalação de um espaço para isolar crianças doentes ou com possibilidade possuirem doença contagiosa.
Zona administrativa da creche
Espaço destinado à gestão e serviços administrativos do equipamento.
Zona do pessoal da creche
Sala do pessoal destinada ao descanso dos funcionários.
WC de adultos
Espaço destinado destinado aos sanitários dos adultos, sejam eles educadores, pais ou auxiliares e pessoas de mobilidade reduzida.
Espaços necessários num infantário

O infantário é um espaço fundamental na educação de uma criança, na exacta medida em que representa a preparação para a entrada no ensino primário ou básico. Os espaços necessários são os seguintes:

Recepção e sanitários de adultos
Zona de vestíbulo com controlo de entradas e saídas de adultos e crianças. Deverá ter ligação a um sanitário de adultos com possibilidade de albergar pessoas de mobilidade condicionada.
Vestiário de alunos
Deverá ser previsto um espaço com fácil relação com a entrada onde as crianças se possam vestir confortavelmente.
Área de Pessoal do Infantário
Á semelhança de outros equipamentos deverá ser previsto um WC de pssoal, um vestiário com cacifos e duche e uma sala de pessoal para convívio e relaxamento dos funcionários.
Sala polivalente
Espaço destinado à recepção dos alunos.
Salas de actividades várias
São no fundo os principais espaços de trabalho e desenvolvimento da criança. Podem ser divididas por idades ou mistas.
Ginásio
Espaço destinado ao desporto. Deverá ser adequado ao número de alunos.
Recreio exterior e coberto do infantário
Deverá ser devidamente equipado um espaço exterior de modo a promover a sociabilização das crianças e as actividades mais lúdicas.
Zona administrativa com gabinetes
É necessário pensar um espaço com gabinetes para os serviços administrativos e para reuniões com pais e educadoras de infância.

Equipamentos administrativos

Os equipamentos administrativos como os resultantes da actividade da administração local ou outros são o conteúdo desta categoria. Tratam-se de espaços onde o rigoroso cumprimento da legislação de higiene e segurança no trabalho, a par de um rigoroso controlo de custos permite garantir a sustentabilidade dos serviços, um baixo absentismo dos funcionários e uma elevada eficiência e produtividade.

Equipamentos judiciais e policiais

Um tribunal, uma secção de proximidade, um estabelecimento prisional, uma esquadra de polícia ou um equipamento gerido pelo ministério da administração interna ou ministério da justiça são tudo equipamentos que incluimos nesta categoria. Tratam-se de equipamentos de elevado grau de confidencialidade e segurança, onde a capacidade técnica deverá ser alidada ao rigor construtivo de modo a atingir os objectivos das entidades públicas que os requerem.

Equipamentos desportivos

Os equipamentos de desporto como as piscinas, os campos de jogos, os parques de manutenção física, os ginásios e outros espaços onde se realize a prática desportiva consistem nos investimentos que incluimos nesta categoria. O conhecimento da modalidade, do público interessado na mesma, dos recursos financeiros disponíveis e dos recuros técnicos para atingir o orçamento pretendido são os temas mais importantes a tratar em cada projecto. O arquitecto é um elemento fulcral para articular todos estes aspectos.

Projetos de Equipamentos

Os equipamentos públicos são espaços cuja utilização intensiva implica um elevado cuidado na concepção do mesmo. O uso frequente destes espaços implica a adopção de soluções robustas que permitam uma baixa manutenção. Equipamentos escolares como são o caso das creches, infantários, escolas, atelier de tempos livres entram dentro desta categoria. Também convém referir os equipamentos judiciais como tribunais e secções de proximidade, sedes da administração local entre outros.