Linguas disponíveis

  • Casa Passiva
  • Casa Passiva amiga do ambiente
  • Casa Passiva - Sala de jantar
  • Casa Passiva - Escada transparente
  • Casa Passiva - Cozinha e Lanternim
  • Casa Sustentável com climatização passiva
  • Casa em Matosinhos - climatização passiva
  • Casa Passiva - Luz zenital
  • Casa Passiva - pátio interior
  • Casa Passiva - Eficiência Energética

Casa Passiva

Os nossos arquitetos foram contratados para desenhar uma casa passiva de acordo com os desenvolvimentos científicos mais recentes e as práticas de projeto mais avançadas. O terreno é urbano e localiza-se na Rua Roberto Ivens em Matosinhos. O projeto de arquitetura foi construído de início a fim com o objetivo de sustentabilidade e baixo consumo energético.

 

O conceito de arquitetura passiva

 

A ideia de casa passiva tem como base o consumo mínimo de energia mantendo o elevado padrão de conforto. No fundo, uma casa passiva é uma casa termicamente confortável sem recorrer a elevado consumo de energia. Por um lado, a casa tem de ser termicamente eficiente, isto é, não perde energia. Por outro lado, a habitação tem de incluir mecanismos eficientes na captação de calor ou frio sem recurso a consumos de energia externos a própria casa.

 

A climatização passiva da casa

Os mecanismos de climatização passiva são todos aqueles que utilizam os recursos próprios do lugar para garantir conforto aos utilizadores da casa. Nesta moradia fizemos uso de:

  • Painéis solares para aquecimento de águas sanitárias. Os painéis permitem a utilização da radiação solar para aquecer um depósito de águas sem consumos de energia elétrica ou gás.
  • Painéis fotovoltaicos que conjugados com a utilização de baterias para armazenamento de energia elétrica permitem a transformação da energia solar em energia elétrica. Esta energia elétrica permite alimentar a climatização da casa através de bomba de calor com piso radiante, a iluminação e os eletrodomésticos existentes.
  • Calculo de Localização das janelas que permite a obtenção de radiação solar no Inverno e o sombreamento no Verão, garantindo uma climatização gratuita.
  • Coluna de ar ascendente, que permite acumular ar quente no inverno e renovar o ar através de ar frio no verão. Para tal, foi necessário pensar no percurso do ar entre o piso de cave, rés-do-chão e primeiro piso.
  • Introdução de Pátio interior, permitindo uma iluminação eficiente e o aproveitamento do efeito de estufa no inverno.
  • Sombreamento exterior através de telas de rolo e registos de ventilação nas janelas permitem um arrefecimento eficiente adicional no verão sem recurso a energia elétrica.
  • Ventilação transversal dos espaços é uma estratégia que assenta na criação de janelas em fachadas opostas permitindo fluxo de ar entre as diferentes diferenças de pressão e assim arrefecer a casa no Verão.

 

A eficiência energética da casa

O aquecimento passivo bem como o arrefecimento passivo só são possíveis se a casa for energeticamente eficiente. Para tal foi necessário um isolamento térmico que ronda os 10cm mesmo num clima temperado. Foi importante não permitir nenhuma ponte térmica e assegurar que mesmo a estrutura possui isolamento térmico. Ao mesmo tempo as janelas com corte térmico tinham de possuir um desempenho elevado acima de classe 3 ( quanto à permeabilidade do ar), bem como vidros duplos incolores de baixa emissividade.
O excesso de energia solar dos painéis solares térmicos é enviado para a piscina.
A sustentabilidade energética é encarada a todos os níveis, mesmo para a comunidade onde se insere esta vivenda. Deste modo, a própria drenagem das pluviais é aproveitada para depósito, garantindo o seu uso posterior para rega do jardim ou abastecimento da piscina.

 

O projeto da casa passiva

O projeto de arquitetura de uma casa passiva é desenhado sempre em ligação com as estratégias de climatização passiva e poupança de energia. A arquitetura nasce em harmonia com a engenharia e a sustentabilidade.
Na fachada para a rua desta vivenda passiva encontra-se a rampa de garagem aberta, permitindo iluminar as casas de banho, a cave e a lavandaria. Pela porta de entrada acedemos ao vestíbulo que liga a casa de banho de serviço, o escritório a sala de estar e jantar e a cozinha em “open space”. Deste piso podemos descer por escada para a cave com garagem e despensa, ou subir para o piso dos quartos. Ainda neste piso recebemos a luz zenital proveniente do pátio interior. No piso superior encontramos um quarto com casa de banho privativa, quarto de vestir e pátio interior. Ainda no piso dos quartos encontramos uma casa de banho comum e dois quartos para crianças.
A cobertura inclinada aumenta o pé-direito do último piso e permite a instalação de painéis solares e a recolha e aproveitamento das águas pluviais.
Um lanternim oferece luz zenital desde o pátio a toda a sala e cozinha. Destes dois espaços acede-se diretamente ao jardim e piscina.

 

O arquiteto e a casa passiva

É a arquiteta ou o arquiteto que tem o papel mais importante na elaboração de um projeto de vivenda passiva. No fundo tudo o que é passivo nasce precisamente da arquitetura e das suas soluções formais. A forma das janelas, a sua localização, a ligação entre espaços, a constituição de paredes e a integração dos equipamentos nos espaços.
Nesta casa passiva a arquitetura surge natural, com soluções contemporâneas e minimalistas, deixando a luz entrar criteriosamente em todos os espaços. No futuro, todas as casas serão assim, amigas do ambiente e energeticamente sustentáveis. Desde o jardim apreciamos as plantas e lembramo-nos todos da realidade: estamos apenas de passagem neste planeta.

 

Tipo de Licenciamento

Construção Nova

Data

Outubro 27, 2021

Categoria

Arquitetura, Construção Nova, Ecologia, Habitação