Linguas disponíveis

Hotel - Utopia
22450
page-template-default,page,page-id-22450,page-child,parent-pageid-22454,ajax_fade,page_not_loaded,,select-child-theme-ver-1.0.0,select-theme-ver-3.8.1,side_area_uncovered,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive

Hotel

Um estabelecimento hoteleiro é sempre um investimento de valor acrescentado para a economia. Possui um enorme impacto regional e gera receitas para diversos operadores mesmo em sectores distintos e regiões diversas. O Hotel é também um dos equipamentos turísticos mais importantes na hora de decidir o destino turístico. A qualidade do alojamento é assim fundamental para o cliente ou turista. Contudo a relação que o hotel estabelece com todas as atividades envolventes determinará o sucesso do investimento. Assim o Hotel deverá espelhar o melhor da região em que se insere de modo a proporcionar uma estadia consentânea com o objetivo do cliente. Existem assim diversos tipos de hotéis orientados para segmentos distintos e funções específicas. O arquiteto é um profissional chave para abrir um hotel, no seu desenvolvimento e posicionamento. Conheça aqui um pouco mais sobre o funcionamento dos estabelecimentos hoteleiros.

Como funciona um hotel

O funcionamento de um hotel é algo de fundamental para o sucesso de um investimento hoteleiro na medida em que acaba por condicionar de sobremaneira a qualidade do produto ou serviço fornecido ao utilizador. O correto dimensionamento dos espaços, dos percursos e das  entradas de publico e serviço permitirão facilitar também a gestão do investimento turístico.

Espaços necessários para um hotel

Existe um programa mínimo necessário para um hotel funcionar. Mas funções presentes exigidas na legislação deverão ser encaradas não como uma exigência mas como um ponto de partida para construir um programa e um projeto de qualidade:

Recepção
Zona onde os turistas fazem o check in e aguradam atendimento.
WC ou sanitários
Deverão ser previstas casas de banho separadas por sexos e equipadas para receber pessoas de mobilidade condicionada.
Sala de estar
Espaço de convívio ou relaxamente entre hóspedes ou visitantes.
Sala de pequenos almoços
Poderá também ser o espaço para servir refeições consoante a classificação de estrelas pretendida. O pequeno almoço é sempre um serviço disponível obrigatório.
Salas com serviços e actividades
Estes espaços poderão ser vários conforme a pontuação pretendida e incluir serviços tais como: SPA, ginásio, piscina, auditorio, etc…
Circulação de turistas
Os corredores, elevadores e escadas dedicados aos clientes.
Circulação de pessoal
Espaços para os funcionários se deslocarem sem conhecimento dos clientes.
Quartos
Os quaros poderão ser individuais, duplos ou suites. Em todos os casos deverão possuir casa de banho privativa. No caso da suite deverá existir adicionalmente uma sala privada.
Área administrativa
Deverá ser prevista uma zona para gabinetes reservada à gestão, direcção ou administração do hotel.
Área do Pessoal
As zonas técnicas do hotel englobam: uma entrada de serviço, um wc do pessoal, vestiário, lavandaria, apoio para roupa em todos os pisos, arrumos de limpeza, armazém geral e cozinha(ligação à zona de refeições e incluindo arrumos de comida seca e fria).

O arquitecto e o Hotel

Se existe equipamento onde o arquiteto é fundamental é precisamente o equipamento hoteleiro. A qualidade do alojamento e um bom leque de serviços associados são a razão que diferencia a empresa hoteleira. Ora, o projeto que mais valor pode acrescentar ao negócio é precisamente o projeto de arquitetura. Nas diversas fases de um projecto: estudo prévio, projecto de licenciamento, projecto de execução e acompanhamento de obra a equipa projetista de arquitetura permite fazer a diferença e salvaguardar a qualidade do investimento.

O número de estrelas de um Hotel

Um hotel é sempre classificado em estrelas de acordo com a legislação em vigor. As estrelas vão de 1 a 5 e são atribuídas de acordo com as qualidades físicas do espaço e a quantidade e qualidade dos serviços prestados. A legislação foi concebida de modo a que existam requisitos mínimos de área e funcionalidade no imóvel e que esta pode subir ou bair uma estrela se o hotel fornecer mais ou menos serviços ao turista.

É importante ter em conta que a classificação é revogável caso o estabelecimento hoteleiro não disponha das características previstas ou dos serviços descritos após inspecção do Turismo de Portugal.

Conceber e criar um hotel

Um hotel de sucesso tem sempre um conceito claro, bem definido e diferenciador. Tem sempre algo que o torna especial e faz com que os clientes o prefiram. Seja a competitividade apresentada, a segurança de uma marca, uma localização, um serviço único ou um imóvel com uma arquitetura original, a verdade é que a opção do cliente tem sempre uma razão de ser. Ora o arquiteto desenha um hotel tendo em conta estes objectivos do investidor e planeia de antemão as estratégias comerciais e de gestão que se seguirão.

O licenciamento de um hotel

Licenciar um hotel é um processo rápido se desenvolvido com rigor por uma equipa de arquitetos e engenheiros dedicada. A Câmara Municipal onde se localizará o hotel é a entidade que tutela o processo. Contudo esta terá de solicitar diversos pareceres externos: Turismo de Portugal, Proteção Civil (Bombeiros) e Delegação de Saúde. Poderá ser necessário consultar outras entidades em função da localização do investimento. Demonstrar detalhadamente o cumprimento de toda a legislação em vigor é uma tarefa do arquiteto e do engenheiro de cada projeto de especialidade que se revelará vantajosa na medida em que poupará tempo ao investidor.

O projecto de execução do Hotel

O projeto de execução do hotel acompanhado de um bom caderno de encargos, um mapa de medições e pormenores construtivos detalhados permite ao investidor fazer um concurso de obra para selecionar o construtor. O empreiteiro mais competitivo que respeitar o caderno de encargos poderá assim assinar um contrato com o investidor. O anexo a esse contrato é precisamente todo o projecto de execução com as suas peças escritas e desenhadas. O arquiteto garantiu assim ao investidor a possibilidade de comparar construtores e a garantia de fazer um contrato que lhe proporciona uma posição negocial segura no momento de obra.

A construção de um hotel

Construir um hotel é um processo relativamente simples se as decisões tomadas anteriormente incluíram a elaboração de um projeto de execução. No momento de construção a presença de um arquiteto para desenvolver o acompanhamento de obra e a direção de fiscalização fará toda a diferença na qualidade da construção.

Renovação e remodelação de um Hotel

É importante saber que um Hotel é um investimento que ao fim de um máximo de 20 anos necessitará de trabalhos de manutenção. isto porque falamos de um equipamento com elevado desgaste e usado por um número elevado de utilizadores. Nesse momento é importante decidir se as opções a tomar se resumem a obras de restauro ou deverão incluir uma renovação mais ou menos profunda com eventual substituiçãop de mobiliário e iluminação, ou mesmo de acabamentos interiores. Um arquiteto é nesse preciso momento essencial para o sucesso de uma reabilitação de um equipamento hoteleiro.

Tipos de Hoteis

Os hotéis têm hoje uma segmentação comercial assinalável. Salvo algumas exceções, esta segmentação não implica necessariamente regulamentação específica e serve apenas para atingir melhor a satisfação de um grupo de consumidores.

Hotel de charme

Hotel urbano de pequenas dimensões com características arquitectónicas singulares, frequentemente um imóvel histórico.

Hotel de design

Hotel desenvolvido por um ou vários arquitetos ou designers  dando prioridade à estética e irreverência.

Hotel de luxo

Hotel que priveligia o segmento mais alto do mercado.

Aparthotel

É um hotel que disponibiliza apartamentos para além dos serviços normais associados aos quartos.

Projetos de Hoteis

O nosso gabinete de arquitetura e engenharia tem já uma vasta experiência no desenho, conceção e construção de hotéis. O facto de cada hotel ter um arquitecto de qualidade permite uma experiência de qualidade por parte do cliente e uma gestão eficaz por parte do investidor.